FAÇA SUA DOAÇAO AO BLOG

Adicione seu e-mail e você receberá nossas DICAS E TRABALHOS no seu e-mail:

Você receberá um Email, Clique no link para Confirmar.Portal Mais Professores

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR


A administração escolar pressupõe uma filosofia e uma política diretoras estabelecidas pelo grupo escolar, onde está estruturada para gerar processos criadores de condições adequadas às atividades do grupo, objetiva a unidade e à economia de ação, bem como ao sucesso do processo educacional. Engloba atividades do tipo: - planejamento, organização, assistência à execução (gerência), avaliação dos resultados, prestação de contas (relatório).

A partir da concepção de educação daqueles que estabelecem política educacional, podemos inferir seu tipo de administração escolar. Como por exemplo: se a política educacional priorizar o intelectualismo e o professor como centro do processo educativo, teremos uma educação tradicional e conseqüentemente, uma administração humanista tradicional; se priorizarmos o aluno ativo como centro do processo educativo terá uma educação escolanovista e, uma administração humanista moderna; mas se priorizarmos o aluno tem-se uma educação progressista e uma forma humanista-progressista de administração.
Ao longo da história da educação, a prática administrativa foi desenvolvida como forma centralizada de poder. Este comportamento promoveu a competição, a intimidação e a segregação nos trabalhos escolares. Atualmente a prática administrativa tende à descentralização e prioriza parcerias, como ilustra o teor abaixo.

“A administração escolar é um conjunto complexo de atividades que criam condições para integração e o bom funcionamento de grupos que operam em divisão do trabalho. Aí está explícito que a unidade total de tarefas é subdivididas em unidades menores e confiadas a pessoas ou grupos que possuem certa autonomia para executá-las. Portanto, quanto mais poderes os indivíduos ou grupos tem para realizar tarefas mais descentralizadas e democráticas é a administração escolar. Não é, pois, recomendável à centralização que caracteriza a administração autoritária, ainda mais quando o conceito atual é que a administração tem a função de zelar pelo funcionamento harmonioso e orgânico dos grupos”. (MARTINS,1999:34)

A administração escolar tem como maior preocupação a manutenção da unidade grupal. Não podendo, no entanto, deixar de preocupar-se com a economia da ação e o progresso do empreendimento. Deve cuidar ainda, da otimização dos recursos, sem diminuir o rendimento. Isto quer dizer que a administração escolar não pode economizar recursos que possam implicar na queda da qualidade, pois esta é meta enquanto a otimização de recursos é meio.
Ainda é um grande desafio a tarefa do administrador nas instituições educacionais, pois as mesmas não dispõem de um profissional qualificado para o desempenho desta função. O cargo de diretor geralmente considerado “de confiança” acaba sendo ocupado por profissionais que, usam o poder do cargo, coagindo os outros profissionais com promessas de prêmios, incentivando as competições internas e os conflitos interpessoais, no intuito de manter o domínio sobre o grupo.
A forma qualificada do administrador escolar começa a ser vista como uma necessidade urgente, para a conquista de um espaço educacional que respeite os princípios de cidadania e a convivência democrática.

PRINCIPAIS ELEMENTOS NA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
 Peter F. Drucker, citado por Lacerda (1977) afirma:

“Uma empresa distingue-se de todas as demais organizações humanas pelo fato de levar ao mercado um produto ou serviço. Nem a igreja, nem o exército, nem a escola o fazem. Qualquer organização que se realize pelo marketing, isto é, pela colocação de um produto ou um serviço no mercado será um negocio uma empresa. Qualquer organização em que inexista, ou seja, incidental o marketing, não será um negocio e nunca poderá ser administrado como se o fosse”. (LACERDA, 1977:2).

Na escola, direção, professores e especialistas da educação não podem ser comparados a operários, chefes de seção, gerentes, etc. Nem alunos podem ser comparados à matéria- prima moldada por máquinas e equipamentos manipulados por mão-de-obra qualificada. O educando é uma pessoa com suas características psicossociais e o professor, a mão-de-obra, também o é, diferenciado por sua formação pedagógica específica para desenvolver o processo educacional.
Os parâmetros para avaliação do desempenho na empresa referem-se a produção e a venda. Quando uma delas ou ambas apresentam-se aquém das expectativas, buscam-se as causas que podem ser identificadas com maior facilidade: qualidade inferior da matéria-prima, falha do controle de qualidade, equipamentos obsoletos, negligência ou incompetência do pessoal, concorrência no mercado etc.
Estas causas podem ser eliminadas mediante a substituição da matéria-prima, melhoria do controle de qualidade, substituição, seleção e treinamento de pessoal, entre outros.
Na escola, a avaliação do desempenho é muita complexa, pois no processo ensino-aprendizagem há uma interação de personalidade diferente em suas dimensões humanas e político-sociais.  Educador e educando difere quanto à motivação, interesse, expectativas, necessidades, conteúdos, experiências variáveis, essas bem mais difíceis de ser controladas.
Sem dúvida, as inovações ocorridas nas organizações comerciais e industriais vão refletir nas organizações escolares que passam a necessitar de uma filosofia de administração e um novo redirecionamento para maior especialização da mão-de-obra exigida, não só pelo mercado de trabalho,mas também por toda a sociedade. A importância da escola aumenta, repentinamente, ocupando lugar de destaque nas instituições sociais.
A escola tornou-se uma organização complexa, exigindo, inclusive, a existência de uma estrutura mediadora para ajustar todas as suas atividades específicas (educação) e supletivas (meios) às imposições resultantes da evolução cultural.
Neste contexto é que se apresenta a estrutura da organização escolar, com convívio e dependências de todos os demais organismos complexos que, às vezes, de forma incoerente, atuam sobre a educação.
Atualmente, a organização – escola demonstra necessitar de uma teorização compatível com a prática, com sua especificidade e com seus fins na sociedade e com seus fins na sociedade.
 A tarefa da administração consiste em interpretar os objetivos propostos pela escola e estabelecer as maneiras adequadas para alcançá-los através da ação administrativa sobre os recursos disponíveis. Assim, a ação administrativa pode ser desdobra nas seguintes funções administrativas, as quais podem ser também chamadas de funções do administrador, pois se referem ao próprio ato de administrar:
Planejamento
Organização
Direção
Controle
Trabalho

1.1 PLANEJAMENTO
Significa visualizar o futuro, definir os objetivos e metas, e traçar o plano de ação para alcançá-los.

1.2 ORGANIZAÇÃO
Significa estruturar os órgãos e cargos da escola para cuidar dos recursos disponíveis, definir as relações de autoridade e responsabilidade, entre eles e estabelecer métodos e processos de trabalho, bem como regras e regulamentos necessários para a atividade organizada.

1.3 DIREÇÃO
Significa conduzir e orientar o pessoal, proporcionar os meios de comunicação e liderança para o alcance dos objetivos e resultados.

1.4 CONTROLE
Significa avaliar as operações e seus resultados e verificar se o que foi planejado, organizado e dirigido foi executado adequadamente e quais as ações corretivas necessárias.

0 comentários:

Postar um comentário

Ser professor é ter o nobre ofício de exercer a arte de ensinar.